Oh não!!! Mais um blog de cozinha...Mas este é meu.

Terça-feira, 25 de Fevereiro de 2014

Diz que é uma espécie de Boeuf Bourguignon....





Apesar desta vez eu ter feito uma experiência diferente neste prato, (utilizei vinho do porto, canela e anis), é uma variação do famoso boeuf bourguignon...que por outras palavras é um excelente prato de jantar de convivas. especialmente se houver pessoal mais novo, não só porque o prato é delicioso mas porque os mais pequenos vão entrar em competições para acertar com o nome correcto do famoso prato francês...e tentar soletra-lo e acabar por ser uma trapalhice pegada que tanto faz rir os mais novos como os mais velhos. Devo também dizer que este é um dos meus pratos favoritos, apesar que sempre que o faço, adultero sempre um pouco a receita original.
Uma dica em especial que eu deixo, é que quanto mais barato "rasca" for o corte de vaca, mais saboroso vai ser o resultado final, mas o tempo de cozedura será maior, o que ira permitir a proteína ganhar mais sabor. Outro factor importante é também utilizar um daqueles vinhos baratos de tasca...sim aqueles mesmos que qualquer apreciador de vinho foge a sete pés...portanto, na minha opinião esqueçam elitismos...(pronto, pronto se quiser impressionar aconselho a usar um vinho de borgonha...mas também baratinho). Aqui deixo então a receita, tendo como base o método de preparação utilizado por um dos meus maiores ídolos, Anthony Bourdain :


- 1 kg de carne de novilho para estufar, cortado em cubos de forma grosseira 

- Sal

. Pimenta preta moída

- 100 ml de azeite

- 4 cebolas fatiadas finamente

-  2 colheres de sopa de farinha

- 1 copo de vinho de borgonha ( eu utilizei desta vez vinho do porto só por curiosidade)

- 6 cenouras cortadas aos cubos

- 1 dente de alho

- 1 bouquet garni

- Um pouco de salsa picada

- também adicionei um pau de canela, malagueta desidratada e duas estrelas de anis, o que difere da receita original.





Modo de preparo:

- Temperar a carne de sal e pimenta, e em azeite bem quente corar bem a carne ( pouco de cada vez, pois o objectivo é só ganhar cor e não cozer).

- Depois de a carne estar corada por todos os lados, baixar o lume e refogar a cebola durante 10 minutos na gordura que restou no tacho onde foi corada a carne. Polvilhe a farinha e deixe cozinhar por mais 5 minutos, mexendo ocasionalmente. Adicione o vinho e raspe bem o fundo do tacho. Deixar ferver o vinho e reduzir ligeiramente.

- Coloque novamente a carne, o alho, a cenoura, a canela, o anis, a malagueta e o bouquet garni. Adicionar agua ou caldo de novilho até cobrir o preparado.

- cozinhar o preparado em lume brando durante 2 horas ou até a carne desfazer-se facilmente.


Como sempre espero que gostem e bom apetite.


Grau de dificuldade: Não dá muita luta

calorias: Já vai ter que tirar a ferrugem da bicicleta que está a tanto tempo parada na garagem.

Tempo: 2 a 3 horas

publicado por Joaquim Caveiras às 18:32
|

Terça-feira, 18 de Fevereiro de 2014

Farofias...tatuagens...e nuvens doces...

Para além desta ser uma forma perfeita de aproveitar as claras que por vezes sobram de outras receitas, é uma das minhas sobremesas favoritas. E foi também uma das primeiras sobremesas que aprendi a fazer, juntamente com a D. Angelica, mãe de um dos meu melhores amigos de infância, hoje em dia um excelente tatuador profissional  (quem estiver interessado no trabalho dele pode ver algumas coisas aqui https://www.facebook.com/gil893).
Basicamente nesta receita apenas reaproveitei uns restinhos daqui e ali (inclusive o resto do crumble que sobrou da minha receita anterior) e deu este resultado:


Cá fica a receita e como sempre espero que gostem:

Para as "nuvens"
- 2 claras
- 40 gramas de açúcar
- 1 pau de canela
- 1 raspa de limão
- 250 ml de leite gordo´
- 25 gramas de açúcar

 Para o molho inglês:

150 ml de leite gordo
2 gemas
40 gramas de açúcar
1 vagem de baunilha

Para as "nuvens"
Juntar o leite, o açúcar (40 gramas, o pau de canela e a raspa de limão e levar ao lume a ferver. Bater bem as claras em castelo adicionando aos poucos o açúcar( 25 gramas), até formar um merengue brilhante e consistente. Fazer bolas grandes deste preparado e cozer na calda anterior, aproximadamente 1 minuto de cada lado, que deve ferver em lume brando.

Preparação do molho inglês:

Ferver o leite  juntamente com a vagem de baunilha ( quando usar a vagem, retire todas as sementes e adicione ao preparado, pois é onde esta todo o sabor da baunilha). Noutro aparelho bata o açúcar juntamente com as gemas até começarem a ganhar volume. Adicione o leite aos poucos e leve novamente ao lume brando. Deixar cozer, mexendo sempre, até formar um ponto de estrada na espátula (aproximadamente 10 a 15 minutos). Deixar arrefecer e colocar no frio.

Grau de dificuldade: Não dá para suar...
Tempo: 1:30
Calorias: É melhor não olhar para a balança...
publicado por Joaquim Caveiras às 18:30
|

Quinta-feira, 13 de Fevereiro de 2014

 



Mais uma sobremesa...e mais um arroz doce...Existe em mim uma certa obsessão com este doce. Um dos favoritos dos portugueses por sinal, e onde cada um (pelo menos todos aqueles que já tentaram fazer) têm a sua teoria. Uns cozem primeiro o arroz em agua e só no final juntam o leite, outros adicionam ovos, outros (estes sim manhosos) juntam preparados instantâneos ao arroz, mas tal como diz a musica de Antonio Variacoes, quando fala um português, falam dois ou três. O que interessa é que no final o resultado seja o mais saboroso e agrade as pupilas gustativas e também nos dé memorias agradáveis e que perdurem. Falando de memorias, sempre que faço arroz doce ( e lá vamos cair no velho cliche, começei a cozinhar por causa da minha avo bla,bla,bla...) fazem-me lembrar os bons momentos vividos na mesa com a minha "Mami" emprestada onde aprendi a fazer este doce de uma forma mais simples, onde hoje em dia complico um pouco mais a coisa...Mais ao encontro do meu gosto pessoal e das minhas raízes marroquinas. Já agora este foi o doce que permitiu-me  participar recentemente nas audições do segundo casting do masterchef português, que decorreu no terreiro do paço, onde cozinhei juntamente com outras 500 pessoas. Apesar de não ter conseguido passar para os 50 primeiros, achei espectacular que os portugueses hoje em dia sabem cozinhar ao nível dos melhores...acho que eu e outras 499 pessoas demos algumas dores de cabeça aos júris :).
Cá fica a receita, e como sempre, espero que gostem:

Arroz doce à moda marroquina:

Para o arroz:
- 70 Gramas de arroz carolino
- 2 Lt de Leite gordo
- 100 Gramas de açúcar
- 0,1 ml da infusão de flor de laranjeira
- Raspas de uma laranja (só o vidrado, cuidado para não ficar nenhuma parte branca)
- 1 pau de canela
- Sal q.b.
Para o crumble:
- 20 gramas de caramelo
- 20 gramas de pistácios sem sal e sem cascas
- 20 gramas de noz
- 2 colheres de sopa de coco ralado
- Ferver a infusão de flor de laranjeira juntamente com o sal..
- Deixar o arroz abrir um pouco na fervura da água e de seguida adiciona-se o leite (que vai ser fervido numa panela á parte, juntamente com o pau de canela e as cascas de laranja) em pequenas quantidades, sem deixar que o leite evapore totalmente. Deve-se mexer constantemente. 
 
Para o crumble:
- Fazer um caramelo bem doirado e reservar. 
- Entretanto tostar ligeiramente os restantes ingredientes. Levar a triturar os restantes ingredientes juntamente com o caramelo arrefecido. Atenção não triturar muito, pois o objectivo é que ainda fique com alguma textura. 
- Para empratar, coloque o arroz por baixo e no topo o crumble. 
 
Grau de dificuldade: Este já começa a dar algum trabalho...
Tempo: 2 horas
Calorias: Estaria a mentir ao dizer que este pequeno prazer não engorda nem um bocadinho....
publicado por Joaquim Caveiras às 18:28
|

Sexta-feira, 07 de Fevereiro de 2014

 

Quando a vida da-te limões, bem....acrescenta-lhe um pouco de açúcar, ovos e mais umas quantas coisas boas e temos um parfait de limão. Finalmente regresso de um período que tirei "férias" do blog, mas que no fundo foi um período de esclarecimentos e de caminhos que quero prosseguir agora em frente. Regresso agora com o desafio mensal lançado pelo blog Tertulia da susy e no seguimento de a "escolha do ingrediente", do qual o ingrediente escolhido deste mês é o limão. Deixo aqui a receita que experimentei pela primeira e que por cá deixou boas impressões. Experimentem pois acho que vão gostar.

Parfait de limão
Sumo de 3 limões
3 ovos
125 gramas de açúcar branco
100 ml de natas

Para a massa
100 gramas de manteiga
50 gramas de açucar em pó
1 gema de ovo
125 gramas de farinha
5 ml de essencia de baunilha
sal q.b.

1.
Para fazer o parfait de limão misture o sumo de limão, os ovos e o açucar numa tigela até o açúcar ter se dissolvido.Junte as natas e misture bem este preparado.
2.
Aqueça o forno até aos 160 graus . Coloque a mistura do parfait em pequenas formas ( eu utilizo formas de silicone) e coloque o preparado até quase ao fim de cada recipiente.( deixe um pequeno espaço, pois será necessário para colocar a base do parfait). 
3.
Coloque o preparado já nas formas num tabuleiro fundo próprio para o forno e coloque agua até cobrir metade do preparado . Cozer em banho Maria durante 45 minutos, ou até o parfait estar cozido. Quando preparado retire do forno e deixe arrefecer. 
4.
Para fazer a base, misture a manteiga e o açúcar até ficar fofo e cremoso. Misture a gema de ovo, a baunilha e sal e mexa bem até combinado. Deixe a massa repousar no frio durante 1 hora no frigorífico. 
Aqueça o forno até aos 150 graus. Role a massa muito fininha e corte em formas redondas, mais ou menos do mesmo diâmetro do parfait de limão. Coloque no forno e coze durante 10 minutos. Retire do forno e deixe arrefecer. 
Grau de dificuldade: Nem dá para suar...
Tempo: 1:30 
publicado por Joaquim Caveiras às 18:26
|

Domingo, 17 de Novembro de 2013

Amigos e amigas que vêm visitar a minha pagina. Após algum tempo sem postar nada acho que deveria dar uma palavra sobre a minha ausênsia nas ultimas semanas. Tem sido um percurso fascinante desde que comecei a levar mais a sério a ideia de realizar o meu blog, pois têm sido um longo percurso de auto descobertas ( sim sou amador no verdadeiro sentido da palavra) e devo confessar que fiquei bastantante surpreendido pela positiva por alguns ou mesmos todos os pratos que apresentei no decorrer deste percurso, que têm sido estes prazeres desconhecidos. Devo confessar que nunca pensei ter algumas receitas minhas publicadas em revistas ( o caso do meu leite creme de café, ou lombo porco assado e entre outras) ou mesmo provadas por cozinheiros que tenho o mais alto respeito como é o caso do chef João cordeiro, chef Orlando Esteves e o critico gastronomico Virgilio Nogueiro Gomes....

Voltando ao assunto da minha ausencia, devo confessar que estou numa fase de recarregamento de baterias e de reformular os meus objectivos no blog. Não querendo dizer com isto que desisti do blog mas que vou dar um tempo para reconsiderar o meu percurso até então. Espero que esta mensagem não caia no grande vazio da internet mas tambem não quero fazer um grande drama disto...Por isso até breve e um grande abraço a todos aqueles que têm seguido o meu blog.

publicado por Joaquim Caveiras às 02:08
|

Segunda-feira, 28 de Outubro de 2013

Fica aqui a minha participação na "A escolha do ingrediente", do blog Tertúlia da Susy. Este mês o ingrediente escolhido foi a soja.

Flan de leite de soja e alho assado.

2 dentes de alho assados

125 ml de leite de tofu

1 ovo

½ folha de gelatina

Sal e pimenta q.b.

- Assar o alho em papel de alumínio ou vegetal durante 30 minutos a 160 graus no forno. (quem não gostar do sabor tão activo do alho, poderá cozer novamente o alho em leite durante mais 10 minutos).

-Juntar o leite, o alho, o ovo, ½ folha de gelatina demolhada e derretida em leite quente sal e pimenta. Triturar passar por um passador, colocar na forma desejada e cozer no forno a 100 graus, por 40 minutos.

- Deixar arrefecer e levar ao frigorifico durante 6 horas.

 

Bom apetite {#emotions_dlg.drool}

publicado por Joaquim Caveiras às 21:25
|

 

Mais uma receita de arroz doce em prazeres desconhecidos. Desta vez decidi brincar com a flor de carqueja que geralmente é mais utilizada para infusões ou mesmo pratos salgados. Espero que gostem, bom apetite.
- 70 Gramas de arroz carolino
- 1,5 De Leite
- 100 Gramas de açúcar
- 30 Gramas de a água
- 2 mão cheias de flor carqueja
- Sal q.b.

- Aqueça o leite e faça uma infusão com a carqueja durante 20 minutos e reserve durante 6 horas no frigorífico. 

- Coe o leite.

- Deixar o arroz abrir um pouco na fervura da água e de seguida adicione o leite (que vai ser fervido numa panela á parte, juntamente com o açúcar) em pequenas quantidades, sem deixar que o leite evapore totalmente. Deve-se mexer constantemente até estar cozido. 

 

publicado por Joaquim Caveiras às 21:14
|

Quarta-feira, 16 de Outubro de 2013

Esta seman fiz uma viagem gastronomica a Espanha, fica aqui mais uma receita:

 

Pincho de Carapau Marinado

Para o carapau:

- 4 Carapaus Médios

- 1 Cabeça de alho assado

Sumo de 1 Laranja

Sumo de 1 Limão pequeno

Raspa de casca de 1 laranja

Raspa de casca de 1 limão

3Dl de azeite

20 folhas de tomilho

Sal e pimenta q.b.

Retirar as escamas e as entranhas do carapau. Lavar bem o carapau em água corrente. Secar o carapau com a ajuda de um papel. Retirar os filetes e o excesso de espinhas. Numa travessa colocar o carapau com a pele virada para cima e colocar sal por cima. Tapar com película aderente e guardar no frio durante 12 horas. Retirar o excesso de sal e temperar com o alho assado esmagado e as folhas de tomilho. Misturar o azeite com o sumo de limão e da laranja e as raspas da laranja e do limão. Deitar a mistura sobre o carapau e deixar marinar durante 4 horas no frio. Servir o carapau escorrido da marinada.

 

Para o molho de tomate:

- 3 Tomates

 - 1 Cebola pequena

- 1 Folha de louro

- 1 Dente de alho

- 1 Colher de chá de alho

- 1 Malagueta

- Sal, pimenta q.b.

 

Num tacho com um pouco de azeite, alourar o alho picado e a cebola picada, acrescentar o tomate em cubos. Temperar com sal, açúcar e sal e umas gotas de vinagre. Deixar cozinhar até ficar uma pasta de tomate. Tirar do lume e deixar arrefecer.

Empratamento:

Tostar o pão, colocar o molho de tomate sobre as tostas, e em cima o carapau já marinado.

publicado por Joaquim Caveiras às 12:53
|

Domingo, 06 de Outubro de 2013

Esta foi uma das receitas que levei a concurso na Mesa dos portugueses ( http://www.amesadosportugueses.pt). 

Mexilhões no tacho:

 

- 1 kg de mexilhões

 

- 1 cebola roxa picada

 

- 2 folhas de louro

 

- 2 colheres de sopa de salsa picada

 

- 1 colher de sopa de ramos de endro

 

- 1 ramo de tomilho

 

-  100 ml de vinho branco

 

- 100 gramas de manteiga amolecida

 

- 100 ml de azeite

 

- 250 ml de caldo de marisco

 

 

 

- Começar por bater a manteiga com o azeite até ligar. Quando ficar homogéneo coloque a salsa picada neste preparado e mexa bem. Leva-se ao lume as cebolas, o louro, o endro, o tomilho e o vinho branco. Deixe reduzir ligeiramente e coloque o caldo de marisco. Deixa levantar fervura e coloque o mexilhão e deixe cozinhar, tapado, durante 5 a 6 minutos. Envolva o preparado de manteiga e azeite nos mexilhões.

 

publicado por Joaquim Caveiras às 10:24
|

Terça-feira, 10 de Setembro de 2013

O fruto proibido no Jardim do Éden – A Maçã

 

maçã é o fruto pomáceo da macieira, árvore da família Rosaceae. É um dos frutos de árvore mais cultivados, e o mais conhecido dos muitos membros do género Malus que são usados pelos seres humanos. As maçãs crescem em pequenas árvores, de folha caducifólia que florescem na Primavera e produzem fruto no Outono.

O consumo regular de maçã é excelente para se prevenir e manter a taxa de colesterol em níveis aceitáveis, com a ingestão recomendada de uma unidade por dia. Esse efeito é devido ao alto teor de pectina, encontrada na casca.

A maçã contém as seguintes vitaminas: B1, B2 e Niacina, além de sais minerais, como fósforo e ferro

Fermentada, é utilizada na elaboração de bebidas alcoólicas como a sidra asturiana, o Calvados francês e a sagardua basca

 A tradição popular cristã considerou que foi uma maçã que Eva persuadiu Adão a compartilhar com ela.

a palavra "maçã" e "mal" são semelhantes (malum, "uma maçã", malum, "um mal, uma desgraça").Isso também pode ter influenciado a maçã ter se tornando o "fruto proibido”.

Alguns alimentos que combinam com a maçã:

- Hortela, alecrim, tomilho, salsa, coentros, canela, cravinho, caril, malaguetas. Abobora, agrião, batata-doce, espinafre, nabo, alheira, morcela, presunto, borrego, galinha, coelho, porco, queijo cabra, sardinha, bacalhau, pregado, pera, pêssego, banana, amora, camarão, mel, chocolate, ovos, tomate seco, pão de trigo, milho e centeio, azeite, açúcar, manteiga.

I found the center of fruit is late,
Is the center of truth today,
I cut the apple in two,
Oh, I pray it isn't true...

Marilyn Manson

Referências:

- http://pt.wikipedia.org/wiki/Ma%C3%A7%C3%A3

- Como combinar os alimentos, de Vitor Sobral;

sinto-me:
música: Apple of Sodom - Marilyn Manson
publicado por Joaquim Caveiras às 23:59
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
14
15

16
17
19
20
21
22

23
24
26
27
28


Últ. comentários
Uma ótima sugestão mas, não se esqueça que tem que...
Olá Joaquim,Mais uma sugestão encantadora!Kiss, Su...
Gosto imenso, ficarm muito apetitosos.Bom fim de s...
Muito obrigado pelo elogio e parabéns pela iniciat...
Gostei muito desta excelente sobremesa.Obrigada pe...
Divinal!Kiss, SusanaNota: Ver o passatempo a decor...
arquivos
Tu estivestes aqui!!!
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro